quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Pernambuco terá candidatura dupla COPA 2014

Governo escolheu São Lourenço da Mata para construir arena, enquanto Olinda sonha com estádio no Complexo Salgadinho

Andrea Pinheiro // Diario
andreapinheiro.pe@diariosassociados.com.br

Pernambuco lançará dois projetos para entrar na briga para se tornar uma das subsedes da Copa do Mundo de 2014. O governador Eduardo Campos (PSB) anunciará hoje que a proposta escolhida pelo estado foi a de construir o complexo esportivo no município São Lourenço da Mata, nas proximidades do Terminal Integrado de Passageiros (TIP). Mas a prefeitura de Olinda decidiu também encaminhar o projeto da Arena Recife-Olinda a ser erguida no Complexo Salgadinho, entre as duas cidades. Essa proposta era abraçada anteriormente pelo governo, mas foi descartada recentemente para surpresa até mesmo de membros do Comitê Executivo Pernambuco na Copa.

O governo bateu o martelo na semana passada, mas a resolução só veio ao conhecimento do Comitê da Copa em reunião realizada na tarde da última terça-feira. Até mesmo o prefeito de Olinda, Renildo Calheiros (PCdoB), que havia conversado com Eduardo Campos na semana passada, não foi informado sobre a decisão. Oprojeto selecionado pelo governo foi apresentado pela multinacional Odebrecht e será construído através de uma Parceria Público-Privada (PPP). Na mesma área, estão previstos ainda a instalação de mais um hospital metropolitano prometido por Eduardo Campos em campanha e a nova sede administrativa do governo do estado.

O que causou estranheza de parte do Comitê foi a aprovação de um projeto criado no final do ano passado, às vésperas do encerramento do prazo para que as cidades candidatas a subsedes enviassem suas propostas à Fifa - os projetos devem ser encaminhados até hoje e a definição das subsedes será em março. Foi apenas no mês de outubro que a empresa solicitou ao estado a permissão para realizar um estudo de viabilidade técnica da PPP. Enquanto isso, o governo divulgava junto à Fifa o projeto da Arena Recife-Olinda.

Segundo o governo do estado, uma das razões para que a Arena Recife-Olinda tenha sido preterida é a necessidade de desapropriar um terreno que abriga cerca de três mil famílias. "Não existem recursos e nem prazo assegurados para remanejar as famílias", afirmou um integrante do governo que pediu para não ser identificado. A prefeitura de Olinda, no entanto, rechaça essa avaliação. O assessor especial do prefeito Renildo Calheiros (PCdoB), Osvaldo Lima Neto, representante da cidade no Comitê, disse que existem recursos e tempo hábil para a iniciativa.

"A ex-prefeita Luciana Santos (PCdoB) e o prefeito Renildo conversaram com a Casa Civil e receberam a garantia de poder utilizar recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para tal fim", declarou Osvaldo. Ele ressaltou também que o local está entre os beneficiados pelo projeto do Prometrópole. "É a única área que ainda não foi contemplada com as obras do programa", acrescentou.


Olinda admite desvantagem

Ao decidir encaminhar o projeto da Arena Recife-Olinda sem o aval do governo do estado, a prefeitura de Olinda sabe que concorrerá em desvantagem com a proposta da Odebrecht. Mesmo assim, acredita que tem condições de ganhar a preferência da Fifa por causa das especificações técnicas existentes na proposição. "Nós entendemos que o governo do estado tem uma preferência, mas queremos estar como alternativa", destacou o assessor especial de Olinda, Osvaldo Lima Neto.

Ele frisa que o principal interesse de Olinda é que a Copa venha para Pernambuco e que não pretende atrapalhar os interesses do estado. Na avaliação de Olinda, o posicionamento da cidade não causa prejuízos, porque Porto Alegre (RS) também encaminhará dois projetos. "O povo de Olinda tem a característica de brigar pelo que quer e nós vamos fazer isso", disse.

Nos bastidores, comenta-se que um dos aspectos que mais chateou o grupo de Olinda foi a forma como o governo do estado conduziu a entrada da Odebrecht na disputa de construir o complexo esportivo.


Disputa será entre 18 cidades


São Paulo - A disputa das cidades brasileiras por um lugar na Copa do Mundo de 2014 tem mais um capítulo importante hoje, 15 de janeiro. A data marca o limite estipulado pela Fifa para receber os projetos das candidatas a sedes oficiais do evento.

Depois de receber o material das 18 cidades que lutam para receber o Mundial, a entidade máxima do futebol dará início a um processo de análise, que incluirá vistorias técnicas a todas candidatas durante o mês de fevereiro.

A decisão sobre as 12 sedes deve acontecer até o fim de março, e levará em conta não apenas os projetos de estádios, mas obras previstas em setores como hotelaria, transporte e serviços, a indicação de possíveis investidores e garantias governamentais.

O comitê da candidatura de São Paulo foi uma das que deixou o envio do projeto para o último dia do prazo. A documentação possui cerca de 200 páginas, em português e inglês, e inclui cartas oficiais assinadas por autoridades e potenciais patrocinadores.

Também faz parte do pacote da candidaturapaulista um caderno de 80 páginas, com 1,20 m de largura, desenvolvido pelo arquiteto Ruy Ohtake. A obra ilustra detalhadamente o grande projeto de ampliação, modernização e requalificação do Estádio do Morumbi, local apontado pela Prefeitura de São Paulo e pelo Governo do Estado para sediar a abertura do Mundial.

O coordenador do comitê e presidente da São Paulo Turismo, Caio Luiz de Carvalho, mostra-se otimista quanto à aprovação do projeto da candidatura paulista. "Hoje, sem nenhum esforço, São Paulo já atende a maior parte das requisições da Fifa. Tanto o Governo Estadual quanto a Prefeitura já estão investindo em obras e ações concretas que vão ficar como legado para a cidade. O restante será viabilizado por meio de parceria junto à iniciativa privada", disse.

Um comentário:

Vanderly disse...

Triste saber que há conflitos internos entre governantes em relação a candidatura de Pernambuco. parabéns, pela delicadeza em que o texto mostrar o exemplo de união paulista, quem sabe, assim, nossos organizadores pernambucanos pensem de uma forma menos egoísta e sim mais produtiva em relação a essa que será uma das maiores festas já ocorridas em nosso país. E será MARAVILHOSO para qualquer pernambucano ver Recife, Ólinda ou qualquer cidade nossa fazer parte de tudo isso.