quinta-feira, 2 de abril de 2009

Preso acusado de atirar em jovem durante Carnaval

Do JC Online

Menos de 24 horas após o protesto da família do rapaz que ficou paraplégico ao ser baleado no Carnaval, o acusado pelo crime, o vigilante Anderson Alves, de 28 anos, foi apresentado. Nessa quarta, amigos e parentes do estudante de direito Pedro Henrique Câmara, 20, fizeram um manifesto em frente ao Ministério Público de Olinda para pressionar pela prisão do acusado, contra o qual já havia sido expedido um mandado de prisão preventiva.

Segundo o delegado de Olinda Alberis Félix, Anderson Alves também é acusado de homicídio cometido no bairro do Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife, onde mora. Ele foi preso ontem na própria residência. Anderson Alves segue para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, onde ficará à disposição da Justiça.

O CRIME - A tentativa de homicídio ocorreu na noite da Segunda-feira de Carnaval, por volta das 19h, quando Pedro Henrique estava numa parada de ônibus, acompanhado de um irmão e de amigos. Para desviar do trânsito engarrafado, o motorista de um Celta preto subiu a calçada e passou com o pneu em cima do pé do estudante. Pedro Henrique tentou defender-se, batendo no carro, e um homem que estava no banco de trás disparou um tiro, que atingiu o universitário um pouco abaixo do coração.

O rapaz foi levado para o Hospital da Restauração, onde passou uma semana internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Chegou a ser dado como morto numa das três paradas cardíacas que sofreu após a cirurgia, mas conseguiu ser reanimado.

.

Um comentário:

INSPEÇÃO disse...

O que me alivia mais um pouco é a certeza de que este crime não vai ficar impune, embora a prisão desta criatura, nem sei como designá-lo, não devolva ao meu amigo o tempo doloroso e nem tão pouco os movimntos de seu corpo, uma coisa é certa, ele não irá mais prejudicar a vida de outras pessoas. Ele não machucou só Pedro, mas atingiu todos nós que o amamos, e por isso não descansaremos até vermos a justiça sendo feita.
Sei que para Pedro há algo muito bonito guardado, e que ele virou um exemplo de otimismo e força para todos que o acompanharam e o que este homem tem agora, nada mais é do que o desprezo das pessoas que sabem que ele cometeu este crime absurdo.
Vamos lutar pela justiça!

Aline Torres