quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Ministério Público quer proteção do patrimônio olindense no carnaval

Para evitar que o carnaval deixe marcas de destruição e vandalismo na cidade de Olinda, cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, a Promotoria da comarca vai firmar um termo de ajustamento de conduta com a Prefeitura local e com a Polícia Militar.

A audiência pública para promover a assinatura do pacto vai acontecer na próxima sexta-feira (18), às 9h, na Promotoria de Olinda, localizada na Avenida Pan Nordestina.

Como o acordo se trata de um compromisso cujas determinações são definidas em conjunto por seus assinantes, ainda não é possível dizer exatamente o que será decido.

No entanto, o promotor do Meio Ambiente de Olinda, André Felipe Barbosa, adianta que o "objetivo é traçar as diretrizes para que o carnaval ocorra com a maior tranqüilidade possível, sem agressões ao meio ambiente e ao patrimônio histórico da cidade, que todos os anos sai bastante sofrida da festa".

Para isso, a Polícia Militar bem como a secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura precisam estar vigilantes e promover ações que evitem violência contra o bem público.

"Já faz três anos que nós publicamos recomendações para as autoridades, mas até agora elas não surtiram muito efeito. Como o TAC tem valor de título executivo, caso haja negligência por parte dos responsáveis, o Ministério poderá dar entrada numa ação civil pública", avisa o promotor.

Com a finalidade de ampliar o debate e buscar a solução mais adequada para o problema, ainda foram convidadas para a reunião organizações da sociedade civil e agremiações carnavalescas locais. O promotor diz que quem desejar participar da audiência para contribuir com sugestões também será bem-vindo.

http://jc.uol.com.br/blogs/blogdejamildo/

Um comentário:

Bruno disse...

Luciana deveria terminar as obras inacabadas que ela esta deixando, isso prova que ela nao tem compromisso nenhum com o cidadao olindense, esta empurrando a prefeitura com a barriga...
sra prefeita, se a senhora nao quer trabaçlhar, peça exoneração de seu posto de prefeita e vá pra casa